Preparação Física frio_aquecimento

Published on julho 27th, 2016 | by Leandro do Carmo

0

Atenção ao aquecimento: o frio chegou!

Na estação fria, é preciso dar atenção especial ao aquecimento antes de iniciar seu jogo – isto evita lesões decorrentes de músculos e articulações frios, além de proporcionar diversas vantagens relativas à performance.

O frio faz com que a unidade músculotendínea fique mais rígida e mais curta. Se você a submete a uma carga externa forte, a chance de lesioná-la aumenta. Imagine um elástico meio ressecado: se for puxado de forma rápida e brusca, quebra imediatamente. São mais ou menos como esse elástico os músculos e tendões frios. O aquecimento alonga a unidade músculotendínea, o que lhe permite alcançar maior comprimento e menor tensão quando submetida ao esforço do exercício físico intenso. Estudos feitos com animais demonstraram que para lesionar um músculo aquecido é preciso uma força mais intensa e maior esticamento do músculo, relativamente a um músculo frio.

O desempenho também é afetado em decorrência do aquecimento. Se você começa a jogar bem aquecido, seus músculos serão mais velozes na contração e no relaxamento, levando a uma melhor performance desde o início do jogo.

A transmissão neural, outro fator importante, é facilitada pelo aumento de temperatura e de circulação sanguínea, assegurando a ativação rápida do corpo nos gestos e movimentação, com muito melhor coordenação.

Há também o benefício psicológico de aquecer-se previamente ao jogo na quadra: você se coloca paulatinamente no estado mental propício ao esporte, a atenção desliga-se progressivamente de tudo alheio a seu jogo e volta-se para esse único foco de concentração.

Como você pode ver, o aquecimento tem muitas vantagens. Agora, como realizá-lo?
Há duas fases para o aquecimento: uma geral e outra específica.

Na geral, aqueça o corpo de forma global: uma caminhada rápida, eventualmente um trote lento. Em seguida movimente todas as articulações, suavemente, de cima para baixo: circunduções com o pescoço, ombros, punhos; torções de tronco e cintura, circunduções da articulação da coxa com o quadril, joelhos, tornozelos. Mobilize cada região várias vezes, nos dois sentidos.

Na fase específica pegue sua raquete – no caso do tênis – e faça movimentos de direita várias vezes, em seguida de esquerda, saque, voleio, mobilizando também as pernas, como se estivesse jogando. Tudo num ritmo lento, depois aumentando a velocidade e variando os golpes. Se seu esporte não é o tênis, mobilize-se nesta fase reproduzindo os movimentos básicos da sua modalidade.

Quando sentir o corpo quente, os movimentos fáceis e fluidos, estará pronto e a quadra será sua!

maria-luisa3Maria Luisa Afonso de André, formada em Educação
Física e pós-graduada em fisiologia do exercício pela
USP, é especialista em Ginástica Holística e RPG.
incorpore@marialuisa.com.br
www.marialuisa.com.br

Tags: ,


About the Author



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Back to Top ↑